Dados Abertos e Saúde

Antes de qualquer coisa vale a pena lembrar que o Hacking Health é uma associação sem fins lucrativos conduzidos por voluntários e que tem por objetivo principal levar melhoria à saúde usando a tecnologia como meio.
Traduzindo, qualquer desafio que surja no campo da Saúde e que possamos juntar uma galera para propor soluções vale a pena ser trabalhado. Pode ser um hospital, uma clínica, plano de saúde, saúde pública, saúde particular, fisioterapia, psiquiatria, geriatria, enfim tudo de tudo.
Este ano em Santa Catarina optamos pelo pioneirismo tratando de um Hackathon focado em gestão de dados, como fomos duplamente pioneiros ao englobarmos nesta discussão a Gestão pública (SUS). Além de debatermos gestão em Saúde, querendo abrir a discussão da Gestão no serviço público. E acredite o desafio é muito massa!!! Isto nos remete a questões do tipo:

O SUS é de graça?
Todos os problemas da saúde pública se resolvem com mais verba?
E a população tem alguma responsabilidade sob a qualidade dos serviços prestados?

No começo ficamos com medo que o governo não fosse querer abrir os dados, porém para a felicidade geral de Floripa estávamos enganados!

A Secretaria Municipal de Saúde virou parceira e com a ajuda da Universidade Univille conseguimos disponibilizar alguns dados para servir de base durante o Hackathon.

Abaixo o link:
http://floripadadosabertos.univille.br/

Vamos a definição de Dados Aberto segundo o mestre Wikipedia:

“Dados abertos (open data) correspondem à ideia de que certos dados devem estar disponíveis para que todos usem e publiquem, sem restrições de direitos autorais e patentes ou outros mecanismos de controle. Segundo a Open Definition dados abertos são dados que podem ser livremente utilizados, reutilizados e redistribuídos por qualquer pessoa – sujeitos, no máximo, à exigência de atribuição à fonte original e ao compartilhamento pelas mesmas licenças em que as informações foram apresentadas. Ou seja, a abertura de dados evita que mecanismo restritivos possam ser aplicados para esconder dados, permitindo que tanto pessoas físicas quanto jurídicas possam explorar estes dados de forma livre.”

Pra você não se perder no raciocínio: Nossa ideia é abrir os dados da Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis (o que for permitido por lei) e uma vez disponibilizada estas informações (Dados Abertos), juntar uma galera para analisar estes dados (ciência de dados), para pensarmos soluções (profissionais da saúde) que serão prototipadas pelo pessoal da Tecnologia (programadores). Os dados não precisam ser exclusivamente da Secretaria Municipal o ponto focal é a tomada de decisão e desenvolvimento da solução totalmente fundamentada em ciência de dados.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Search

+